terça-feira, 28 de agosto de 2012

Você pode ser feliz, se aprender a não complicar...

Os cabelos podem estar pesados da poeira do deserto em terras difíceis e conflituosas,
mas estas crianças estão deixando bem claro na inocência de seus olhinhos o brilho da felicidade.


Eu escolhi esta foto para falar de uma coisa que parece andar em falta...a felicidade. As pessoas andam pesadas, reflexivas sobre as coisas que não conseguem, coisas que não têm, por objetivos não atingidos, por amores não correspondidos, pela deslealdade nas amizades, pelos problemas ou dificuldade de convivência com os colegas no trabalho, com filhos desobedientes ou respondões, e tantas outras coisas mais...sem falar naquela melancolia que bate às vezes e que tende a deixar para baixo, e nem mesmo, às vezes, sabem o porquê.
E eu sempre bato na mesma tecla...a tecla que bati hoje, mais uma vez com as pessoas que sempre vêm à mim para conversar e perguntar porque a vida não é como queremos...

Bem, a verdade é que nós temos o poder de melhorar a nossa forma de ver a vida. Há 2012 anos atrás, um homem nos ensinou isto. Seu nome, no hebraico, que é o de sua origem, é Yehoshuah, que vertido ao nosso idioma, torna-se Jesus. Eu sempre vi Jesus como o homem mais célebre que a humanidade que já teve notícia, porque ele foi quem deixou, na verdade, a sabedoria que todos os outros homens ditos célebres, através dos séculos, copiou. Grandes sacadas baseadas em coisas que ele já nos havia dito que passaríamos ou viveríamos...
Suas palavras sobre a fé, a certeza de coisas não vistas é uma das maiores coisas que podemos usar a nosso favor. E incrivelmente, as crianças, são as que conseguem entender isto melhor do que nós. Esta foto é uma prova: você pode ver nela, crianças que se desenvolvem em locais de conflito e guerra, na fome e na miséria, mas que conseguem sorrir com o sorriso mais puro e sentido que se pode ter...É aí o ponto que eu digo: a felicidade está dentro de nós e tirá-la de lá não é difícil...

Quando se chega a uma etapa na vida em que até as pessoas são capazes de irritar, por já ter tantas e tantas vezes, decepcionado, ao deparar com um animal doméstico, o mero abanar de rabo de um cachorro, o carinho lânguido de um gato em nossos braços ou pernas, quando se aproximam do dono num sofá, sentimos felicidade.

É porque a simplicidade do animal nos toca. O Homem não é simples. E tende sempre a complicar as coisas...

O animal em sua meia-racionalidade, digo assim, porque é tolo dizer que animais não raciocinam... eles são de certa forma racionais, são para sua espécie e habitat, para seu meio, para sua sobrevivência, é real e simples. O bicho transfere seus sentimentos de amor de uma forma, que nada mais esperamos deles, senão usufruir e curtir o amor que dispensa aos humanos. Os humanos também são cruéis. São com os animais, com outras pessoas e consigo mesmo...a diferença é que o Homem raciocina pela lógica.

Se você não consegue buscar dentro de si a felicidade na simplicidade, nunca será feliz. Sempre terá a sensação de que falta alguma coisa. Para ser feliz de verdade, têm que se aprender a senti-la nas coisas mais simples e comuns da vida e do mundo que nos cerca. É através desta simplicidade de se sentir bem que as outras coisas vêm acrescentadas.

Não espere demais do mundo à sua volta...faça a sua parte consigo mesmo(a). Perdoe, perdoe-se e seja simples, para alcançar a tão falada e almejada felicidade!



Nenhum comentário: