quinta-feira, 14 de julho de 2011

O que não dá para esquecer...

Quando eu era menina, eu achava que ia crescer e ser uma heroína como as dos HQs fantásticos e que ia acabar com um monte de coisas ruins que existem neste mundo. Bastou crescer para saber que uma andorinha não faz verão, apenas começa na busca de outras para a jornada, até que ajam andorinhas suficientes para anunciar a chegada, a realização, a conclusão...

Uns, começam campanhas, que vemos, depois de muitos e muitos anos, erradicar uma coisa lastimável...e às vezes, apesar de muitos empenhados, ainda temos de constatar que não houve ação suficiente.

A vida hoje, ainda persiste em mostrar certos fatos para todos nós...governos após governos, instituições de auxílio mundiais, uma após outra são criadas para tentar acabar com certos males culturais e sociais, mas hoje, século XXI, em 2011, ainda temos a tristeza e a sensação de impotência, a desconfiança de saber o que é feito com tanto dinheiro que é investido e movimentado no mundo ao ver coisas como estas que seguem nesta reportagem abaixo:




""RIO - Construído há 20 anos para abrigar 90 mil pessoas vindas da guerra civil da Somália, os acampamentos de Dadaab, no Quênia, são considerados o maior campo de refugiados do mundo, abrigando hoje mais de 350 mil somalis. De acordo com uma previsão do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), até o final deste ano Dadaab será a residência de 450 mil pessoas, o equivalente à duas vezes a população de Genebra. Nos primeiros quatro meses do ano, foram mais de 41 mil novas chegadas.

Além de conflitos internos, a Somália e outros países da África Oriental, como Etiópia e o próprio Quênia, passam pela pior seca dos últimos 60 anos. Nesta terça-feira, a ONU chamou a atenção para a crise humanitária na região, onde a temporada sem chuvas atinge cerca de 11 milhões de pessoas, e fez um apela a comunicada internacional.

- O custo humano desta crise é catastrófico. Nós não podemos nos dar o luxo de esperar - disse o secretário-geral da ONU, Ban ki-moon - Nós admitimos que temos que fazer de tudo para evitar que essa crise se aprofunde."" (Fonte: RIO)

Agora , eu, Luísa, imagino...quanto dinheiro estes orgãos mobilizam...quanta gente especializada eles contratam e pagam...Mas...eles não sabem NUNCA o que fazer...já perdi a conta destas declarações nestes 46 anos...e pergunto:

_ Afinal para quê existe esta coisa chamada ONU?????

Nenhum comentário: